Anvisa determina apreensão e proibição de unidades falsificadas do medicamento Humira AC

Agência orienta os serviços de saúde sobre como identificar se o medicamento é original ou falso.

A Anvisa publicou no Diário Oficial da União (D.O.U.) desta quarta-feira (4/5) a determinação de apreensão e a proibição da distribuição, da comercialização e do uso de unidades falsificadas do lote 1146607 (fab 05/2021, val 01/2023) do medicamento Humira AC 40 mg, na forma de seringa preenchida. A medida foi divulgada por meio da Resolução-RE 1.413/2022.    

Destaca-se que já havia sido publicada a RESOLUÇÃO-RE 3.744/2021, com o mesmo teor, mas referente ao lote 1135258 (fab. 05/2020, val. 04/2022).  

A empresa detentora do registro – AbbVie Farmacêutica Ltda. – comunicou à Agência a falsificação de seringa preenchida de Humira AC, que apresenta as seguintes diferenças em relação ao medicamento original:     

  • diferença no fechamento do blíster;    
  • diferença na cor da marcação de segurança;  
  • diferenças na cor e no tamanho da fonte no blíster;  
  • dimensões diferentes das embalagens; e  
  • ausência da marcação em Braille na embalagem secundária.  

Nesse sentido, a Anvisa solicita aos serviços de saúde que, caso recebam unidades do referido medicamento, antes de utilizá-las façam uma verificação minuciosa da embalagem e do rótulo do produto. Caso sejam identificadas unidades com as características de falsificação descritas acima, não utilizem os produtos e comuniquem o fato imediatamente à Agência, preferencialmente por meio do sistema Notivisa.    

O caso segue em investigação pela Anvisa.  

Confira abaixo as diferenças entre o produto original e o falsificado.   

Quer saber as notícias da Anvisa em primeira mão? Siga-nos no Twitter @anvisa_oficial, Facebook@AnvisaOficial, Instagram @anvisaoficial e YouTube @anvisaoficial           

Fonte: Anvisa.

Deixe o seu comentário