Desabastecimento nacional provoca falta de medicamentos nas farmácias das unidades de saúde, alerta Sesau

Cerca de 60 tipos de remédios estão em falta na rede pública de Camçari-BA.

Cerca de 60 tipos de medicamentos estão em falta nas farmácias das unidades de saúde de Camçari. A Secretaria de Saúde (Sesau) afirma que o problema é provocado pelo desabastecimento nacional que atinge fornecedores de todo o Brasil.

A Sesau pontua que a situação tem provocado a falta de medicamentos em municípios de todo o país, como aponta levantamento do Conselho Federal de Farmácia, do Sindicato dos Farmacêuticos e do Ministério da Saúde. Entre os remédios em falta em Camaçari estão rispiridona, prednisolona, metformina, loratadina, fenobarbital, fenitoina amp, lidocaína gel, budesonida, azitromicina, dipirona, amoxicilina e paracetamol, entre outros.

Em nota, a pasta sinaliza quem de acordo com levantamento do Sindicato dos Farmacêuticos, cerca de 33 medicamentos que fazem parte da Atenção Básica desapareceram do mercado e da maioria dos estoques das unidades de saúde do estado.

“A situação do desabastecimento nacional é tão crítica que a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informou que a situação do estoque estadual é zero para 28 medicamentos de alta complexidade, cujo fornecimento é de responsabilidade do Ministério da Saúde. Situação que pode piorar com o risco iminente de escassez para outros 45 remédios que são fornecidos pelo Ministério da Saúde”, alerta a secretaria.

A Sesau, através da Coordenação de Assistência Farmacêutica, assegura que tem feito todo o possível para garantir o abastecimento das farmácias. “Das 375 apresentações de medicamentos fornecidas pela Sesau, atualmente cerca de 60 estão em falta e outras com estoque em baixa em virtude desse desabastecimento nacional. Temos medicamentos empenhados desde março que até agora não foram entregues porque o fornecedor não consegue encontrar no país. Infelizmente é uma situação que foge ao nosso controle. Enquanto Sesau temos feito todo o possível para resolver essa situação”, afirma Andreia Dias, coordenadora da Assistência Farmacêutica da Sesau.

Fonte: Portal Destaque1.

 

Deixe o seu comentário