Pandemia recua e a falta de medicamentos segue avançando no SUS

Com a redução da mortalidade por coronavírus e o sucesso da imunização, brasileiros que convivem com doenças crônicas não transmissíveis esperavam melhorias também no suporte ao atendimento de suas necessidades básicas de assistência aos recursos da saúde. Na contramão da pandemia, segue crescendo a indisponibilidade de medicamentos nas farmácias do SUS.

O Movimento Medicamento no Tempo Certo, iniciativa coordenada pela Biored Brasil, recebeu durante o mês de outubro de 2021, o relato de 3.271 pacientes reportando irregularidades no fornecimento de 34 medicamentos fornecidos nas farmácias de alto custo do SUS, em atenção aos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas do Ministério da Saúde.

Dos 34 medicamentos em falta, 17 são fornecidos por meio de compra centralizada do Ministério da Saúde, que durante todo o ano de 2021, tem enviado medicamentos em quantidade insuficiente para as Secretarias Estaduais de Saúde. Configurando a razão principal para a recorrência de indisponibilidade de medicamentos contemplados pela Assistência Farmacêutica do SUS. Confira a lista de medicamentos em falta: 

Medicamentos de compra centralizada – Ministério da Saúde (2102 relatos)

  1. Infliximabe 100 mg
  2. Adalimumabe
  3. Metotrexato comprimidos
  4. Golimumabe
  5. Leflunomida
  6. Abatacepte Subcutâneo
  7. Micofenolato de mofetila
  8. Tocilizumabe
  9. Etanercepte 50 mg
  10. Rituximabe
  11. Secuquinumabe
  12. Vedolizumabe
  13. Abatacepte Endovenoso (Infusional)
  14. Tofacitinibe
  15. Ustequinumabe
  16. Rivastigmina
  17. Dasatinibe

Medicamentos de responsabilidade das Secretarias Estaduais de Saúde (1032 relatos)

  1. Azatioprina
  2. Mesalazina comprimido/supositório
  3. Hidroxicloroquina 400 mg
  4. Sulfassalazina
  5. Budesonida
  6. Leuprorrelina
  7. Galantamina
  8. Eltrombopague olamina
  9. Prednisona comprimidos
  10. Difosfato de cloroquina
  11. Brometo de Piridostigmina

Medicamentos de responsabilidade das Secretarias Municipais de Saúde (137 relatos)

  1. Omeprazol
  2. Ciprofloxacino
  3. Prednisolona
  4. Nifedipino
  5. Ácido salicílico
  6. Ácido Fólico

Enviamos questionamentos ao Ministério da Saúde, por meio do Portal de Acesso à Informação (25072.021919/2021-57), e fomos informados pela Coordenação-Geral do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica que a distribuição de medicamentos às Secretarias de Saúde dos Estados e do distrito Federal, para o atendimento do 3º trimestre de 2021 (julho, agosto e  setembro), foi realizada de forma parcelada, considerando a disponibilidade contratual dos fornecedores ou de estoque do Ministério da Saúde. Segundo a resposta via LAI, os seguintes medicamentos foram realizados entregas parciais:

  • Abatacepte 125mg/mL: Atendeu 48% da programação.
  • Etanercepte 50mg/mL (Originador): Atendeu 86% da programação.
  • Infliximabe 10mg/mL: Atendeu 77% da programação.
  • Tocilizumabe 20mg/mL: Atendeu 97% da programação.

Para os demais medicamentos, o Ministério da Saúde informa que foram enviados 100% do quantitativo de medicamentos solicitados, no entanto, os pacientes seguem aguardando a regularização do fornecimento da maior parte dos componentes com irregularidades.

Metricas MTC outubro BIORED

Confira o gráfico da falta de medicamentos, desde o inicio da pandemia da covid19:

Como fazer parte do Movimento Medicamento no Tempo

Pacientes que estão sem receber o medicamento da farmácia de alto custo, ou do plano de saúde, podem aderir ao MTC preenchendo o formulário disponível no link: https://pt.surveymonkey.com/r/faltademedicamentoSUS. Após o preenchimento, a equipe de suporte aos pacientes entrará em contato, e com base nos dados reportados iniciamos a interlocução com o gestor público responsável pelo fornecimento. 

Movimento Medicamento no Tempo Certo
Telefone (16) 3941-5110
Email: faltademedicamentos@gmail.com 

Resposta LAI – Ministério da Saúde

LAI 25072.021919_2021-57 – MS 3 trimestre setembro 2021

Deixe o seu comentário