745 mil doses de hidroxicloquina estão mofando nos estoques do Exército Brasileiro

Apenas metade da hidroxicloroquina doada pelos Estados Unidos foram destinadas aos pacientes com lúpus e artrite

Os lotes de hidroxicloroquina doados por Donald Trump, então presidente dos Estados Unidos, a Jair Bolsonaro, em tese para “combate ao coronavírus”, estão encalhados, inúteis, nos estoques do Exército brasileiro. 745 mil doses da droga estão mofando. Cerca de 255 mil unidades chegaram a ser distribuídas a hospitais militares para o tratamento sem eficácia. A informação é da Folha de S.Paulo.

De 3 milhões de comprimidos que chegaram ao Brasil em junho de 2020, menos de 1 milhão foi aplicado contra o novo coronavírus e sem qualquer benefício para os que receberam o medicamento.

O Ministério da Saúde sob comando bolsonarista, que teve 2 milhões de doses da hidroxicloroquina de Trump em mãos, destinou cerca de 600 mil comprimidos para cidades que teriam a droga contra a Covid.

Depois, a pasta mandou o restante (1,4 milhão de unidades) para o combate a doenças previstas na bula, como lúpus e artrite reumatoide.

Mesmo após parar de distribuir a droga no SUS contra a pandemia, o governo insiste em não se posicionar contra o uso desses medicamentos e Bolsonaro segue distorcendo dados para estimular o uso do chamado “kit Covid”.

O Ministério da Saúde rejeitou, em janeiro, diretrizes de tratamento para a crise sanitária que condenavam essas drogas. O secretário de Ciência e Tecnologia da pasta, Hélio Angotti Neto, ainda assinou nota que defendia a cloroquina e afirmava que as vacinas não têm segurança e eficácia.

Fonte: Brasil 247.

Deixe o seu comentário