Consulta pública ouve a sociedade sobre inclusão no SUS de medicamento para tratar retocolite ulcerativa

Qualquer pessoa pode participar e se manifestar até 27 de dezembro por meio desse link: https://4et.us/r4h4th

São Paulo, dezembro de 2021 – A retocolite ulcerativa é uma doença inflamatória intestinal que afeta consideravelmente a qualidade de vida dos pacientes quando não tratada de forma adequada. Por isso, a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) acaba de publicar uma consulta pública para avaliar a incorporação de SIMPONI® (golimumabe) no sistema público de saúde para o tratamento da retocolite ulcerativa, moderada a grave, ativa em adultos.

consulta pública é uma etapa do processo de Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS) conduzido pela CONITEC com o objetivo de ouvir a opinião de toda a sociedade a respeito do medicamento em questão para oferecer mais eficiência e transparência nas decisões que impactam o sistema público de saúde. Nesse caso, as pessoas que tiverem interesse em contribuir com a discussão e oferecer sua perspectiva sobre a doença, o tratamento ou o processo de incorporação do medicamento deve entrar no site conitec e acessar a consulta pública número 106 que aborda o tratamento da retocolite ulcerativa até o dia 27/12/2021.

“Nem sempre temos a oportunidade de participar das discussões que levam a decisões de políticas públicas que impactam a nossa vida. Por isso é tão importante que a população aproveite essa oportunidade e se manifeste. Quanto mais representantes da sociedade são ouvidos, mais democrático é o processo e melhor é o entendimento sobre o impacto da doença na vida dos pacientes”, explica Daniel Durand, Diretor de Acesso da Janssen Brasil

Entendendo a doença

A retocolite ulcerativa é uma doença intestinal crônica e autoimune, que se manifesta por meio da inflamação persistente do reto e do cólon, geralmente com a presença de úlceras. O principal sintoma é a diarreia com sangue e cerca de 90% dos pacientes apresentam hemorragia retal. Outras manifestações comuns são cólica abdominal e, em casos mais graves, febre, anemia e perda de peso.

O diagnóstico da doença é realizado com base em três aspectos: os sintomas apresentados pelo paciente, exames complementares, como sangue, fezes e a colonoscopia, e exames patológicos, em que é analisado um pequeno fragmento do intestino que, normalmente, é retirado durante a própria colonoscopia.

Segundo a Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD), 12% dos pacientes demoram mais de três anos entre o início dos sintomas até visitar um médico especialista e 43% vão ao menos quatro vezes ao pronto-socorro antes de receber um diagnóstico final5. Apesar de poder ter início em qualquer idade, o pico de incidência ocorre dos 20 aos 40 anos.

Os tratamentos disponíveis para a doença agem diminuindo a inflamação na parede do cólon. Isso permite que o cólon se recomponha e também ajuda a aliviar os sintomas. Nem todos os medicamentos são iguais para quem sofre de retocolite ulcerativa. Deve-se levar em conta as necessidades de cada indivíduo porque a doença pode se manifestar e evoluir de maneiras diferentes. O tratamento médico pode provocar a remissão, com duração de meses ou até anos, mas a doença pode reaparecer, ficando ativa novamente devido a alguma inflamação ou mesmo por outras razões que podem reativá-la. Por isso, os médicos têm usado vários medicamentos para tratar a retocolite ulcerativa durante muitos anos. Essa variedade é importante para atender a necessidade de cada paciente. As categorias de medicamentos mais usadas atualmente são: Aminossalicilatos, Corticosteroides, Imunomoduladores e Terapias biológicas.

Produção nacional

Com o objetivo de colaborar para o desenvolvimento científico da indústria farmacêutica nacional e com a ampliação do acesso a terapias biológicas inovadoras no Brasil, a Janssen possui duas Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) com os laboratórios nacionais Bionovis e Bio-Manguinhos/Fiocruz. A parceria prevê a transferência do conhecimento, tecnologia de produção e célula-mestre dos medicamentos infliximabe e golimumabe – este último objeto da consulta pública para o tratamento da Retocolite Ulcerativa. “A Janssen acredita na abordagem colaborativa e na força dessas parcerias para fomentar um ambiente inovador no país, que, ao mesmo tempo, contribui para o negócio da empresa, para o fortalecimento da indústria nacional, para os sistemas de saúde público e privado e que promova a melhoria do acesso da população a importantes soluções farmacêuticas para doenças altamente impactantes”, finaliza Daniel Durand.

Sobre a Janssen

Na Janssen, estamos criando um futuro no qual as doenças são parte do passado. Somos a empresa farmacêutica da Johnson & Johnson, trabalhando incansavelmente para fazer com que esse futuro seja uma realidade para pacientes de todos os lugares. Combatendo as doenças com ciência, melhorando o acesso com engenhosidade e curando a falta de esperança com paixão. Focamos nas áreas da medicina em que podemos fazer a maior diferença: Oncologia e Hematologia; Imunologia; Neurociência; Doenças Infecciosas e Vacinas; Hipertensão Pulmonar; Cardiovascular e Metabolismo. Para saber mais, acesse Janssen Siga a Janssen Brasil no Facebook e no LinkedIn , e também a página de Carreiras J&J Brasil no Instagram Facebook LinkedIn 

A Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda. é uma empresa da Janssen Pharmaceutical Companies of Johnson &Johnson

Relatório Técnico para a Sociedade – Conitec

Faça aqui sua contribuição: https://4et.us/r4h4th

20211207_ReSoc313_golimumabe_retocolite_ulcerativa

Fonte: Assessoria de imprensa.

Fernanda Tintori – fernanda.tintori@ketchum.com.br / (11) 99615-9385
Débora Vieira – debora.vieira@ketchum.com.br / (11) 98558-8024

Deixe o seu comentário