Secretário de saúde do TO diz que faltam medicamentos no HGP porque fornecedores deixaram de entregar

Afonso Piva disse que os responsáveis não apresentaram justificativas e poderão ser punidos. Apesar do problema, gestor afirmou que pacientes não estão desassitidos.

Mais de 20 medicamentos necessários para tratar pacientes estão em falta no Hospital Geral de Palmas (HGP). Entre os remédios estão os que são usados por pessoas em tratamento de câncer. Em entrevista à TV Anhanguera o secretário de saúde do Tocantins, Afonso Piva, comentou o que causou a situação com risco de desabastecimento na maior unidade de saúde pública do estado.

Segundo o secretário, o motivo da falta é que fornecedores deixaram de entregar remédios sem justificativa.

“Estão alegando a falta de matéria-prima no mercado. Porém alguns fornecedores estão justificando, mas não estão provando […] Antigamente eles falavam que era falta de pagamento, a gestão do governador Wanderlei Barbosa fez um pagamento de quase todos e não temos pagamentos em atraso”.

Afonso Piva disse que eles podem ser punidos. “São fornecedores irresponsáveis, que entram na licitação para fazer leilão. A verdade é essa. Nós mandamos para a corregedoria para fazer a punição desses fornecedores principalmente para não conseguir vender mais em nenhum lugar do Brasil, não só no Tocantins. Pedimos urgência na situação”, afirmou.

O secretário disse que apesar do problema sério, as faltas não significam que os pacientes tiveram os tratamentos interrompidos.

“A gente tem medicamentos para substituições ou até o mesmo medicamento, mas com dosagem diferente. Nenhum paciente está sendo desassistido e essa gestão inclusive está aumentando o percentual de quando nós assumimos. Nós assumimos o percentual com 58 ou 60% e estamos chegando no abastecimento de quase 72%. A meta é chegar a 90%”, disse.

Afonso Piva informou que a Secretaria vai aumentar a quantidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica no HGP. Nesta terça-feira o governo anunciou que vai contratará cinco médicos para os cuidados na ala infantil.

Atualmente, o HGP tem 10 leitos de UTI infantil em funcionamento e com a contratação de pediatras, será possível a abertura de mais 10 unidades, segundo a secretaria.

“Precisamos com urgência destes profissionais, pois temos uma demanda grande por esta especialidade e dispomos de equipamentos e espaço físico para o funcionamento pleno dos serviços”, destacou, Afonso Piva.

Hospital Geral de Palmas - HGP — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Hospital Geral de Palmas – HGP — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Fonte: G1 Tocantins.

Deixe o seu comentário