Pacientes imunossuprimidos do SUS podem contar com um novo medicamento de proteção à COVID-19 

Pacientes imunossuprimidos do SUS podem contar com um novo medicamento de proteção à COVID-19 

O medicamento se chama: Cilgavimabe + Tixagevimabe (Evulsheld®), pode ser usado em adultos e adolescentes maiores de 12 anos, em duas situações:

  • Ampliar a proteção em pacientes vacinados, que não tiveram boa reposta aos imunizastes da Covid-19;
  • Como proteção para os pacientes que por razões médicas não puderam ser vacinados.

O Ministério da Saúde, através da Consulta Pública nº 42,  solicita até o dia 27 de julho, a opinião da sociedade civil para saber se  Cilgavimabe + Tixagevimabe, deve fornecido no SUS.

Pesquisas apontam que a infecção por Covid-19 é 3 vezes mais comum em imunossuprimidos vacinados do que na população geral, e em dezembro de 2021, das pessoas que mesmo após a imunização desenvolveram a forma grave da doença e precisaram de internação 60% eram do grupo dos imunocomprometidos. Dados que ressaltam a importância de ampliar a proteção para este grupo de paciente.

Participe da Consulta Pública nº 42 – Cilgavimabe + Tixagevimabe para ampliar a proteção à Covid-19 de pacientes imunossuprimidos.

  • Para registrar sua contribuição, clique no link: https://4et.us/rffxjs – selecione acesso e faça seu registro;
  • Após o registro, retorne a página da consulta pública nº 42 (link da descrição do vídeo)
  • Pacientes e familiares devem contribuir como Experiência ou Opinião, confira o vídeo o tutorial que preparamos. Caso tenha dúvida, nos envie uma mensagem que te ajudarem a informar ao Ministério do Saúde, o que realmente importa para os pacientes imunossuprimidos brasileiros. 

O prazo para participar terminar no dai 27 de julho de 2022. 

Saiba mais sobre a Consulta Pública nº 42

Aprovado em fevereiro de 2022, o medicamento Evusheld (cilgavimabe + tixagevimabe), é o primeiro medicamento de prevenção à Covid-19, indicado para pacientes imunossuprimidos maiores de 12 anos, que não podem tomar a vacina por recomendação médica, ou que mesmo após a imunização, não tiveram boa resposta vacinal. 

Pesquisas apontam que, a infecção por Covid-19 é 3 vezes mais comum em imunossuprimidos vacinados do que na população geral1, e em dezembro de 2021, das pessoas que mesmo após a imunização desenvolveram a forma grave da doença e precisaram de internação 60% eram do grupo dos imunocomprometidos. Apesar destes indicadores notáveis, o Ministério da Saúde decidiu não fornecer no SUS o medicamento Cilgavimabe + Tixagevimabe (Evusheld), e solicita a opinião da sociedade civil através da Consulta Pública nº 42/2022. É de extrema importância que médicos e pacientes se manifestem a sua opinião, para isso basta clicar no link: https://www.gov.br/participamaisbrasil/consulta-publica-conitec-sctie-n-42-2022-tecnico-cientifico-ilgavimabe-tixagevimabe

Confira abaixo algumas informações importantes sobre o medicamento Cilgavimabe + Tixagevimabe (Evusheld)

É administrado através de injeção intramuscular e não substitui a imunização. Deve ser usado como profilaxia pré-exposição à Covid-19, podendo ser usado tanto em pacientes imunossuprimidos que já foram vacinados, quanto naqueles que devido a situações médicas, não puderam ser vacinados. Conferindo neste caso, uma medida protetiva segura e que não interfere no tratamento médico do paciente.

Não impede que a pessoa imunossuprimida se contamine com o vírus SARS-COV-2, mas impede a infecção celular pelo SARS-CoV-2. Os anticorpos contra o SARS-CoV-2, presentes, irão agir como forma de neutralização ao vírus, quando o paciente for exposto. Por ser uma imunização passiva, a ação de Evusheld não está ligada ao sistema imunológico do paciente, e por isso, no caso de imunossupressão, a eficácia está mantida. 

Por isso, o medicamento é indicado para a profilaxia pré-exposição de COVID-19 em indivíduos adultos e pediátricos (12 anos de idade ou mais pesando pelo menos 40 kg), que não estão atualmente infectados com SARS-CoV-2 e que não tiveram uma exposição recente conhecida a um indivíduo infectado com SARS-CoV-2. Os dados de eficácia do medicamento trazem prevenção de desenvolvimento de sintomas pelo SARS-CoV-2.1

É contraindicado para indivíduos com histórico de reações de hipersensibilidade severas, incluindo anafilaxia, aos princípios ativos ou a qualquer um dos excipientes da fórmula. Não deve ser utilizado para tratamento de pacientes infectados pela Covid-19 ou pós-exposição de COVID-19 em indivíduos que foram expostos a alguém infectado com SARS-CoV-2.

Pacientes imunossuprimidos que já foram vacinados contra a Covid-19, podem tomar Evusheld após 15 dias da última aplicação da vacina contra a COVID-19.

Detalhes sobre as indicações de Cilgavimabe + Tixagevimabe (Evusheld):

O medicamento Cilgavimabe + Tixagevimabe (Evusheld) é indicado como profilaxia pré-exposição de COVID-19 em indivíduos adultos e pediátricos (12 anos de idade ou mais pesando pelo menos 40 kg), nas seguintes condições: 

  • Que não estão atualmente infectados com SARS-CoV-2 e que não tiveram uma exposição recente conhecida a um indivíduo infectado com SARS-CoV-2 e;
  • Que têm comprometimento imunológico moderado a grave devido a uma condição médica e/ou ao recebimento de medicamentos ou tratamentos imunossupressores e podem não apresentar uma resposta imunológica adequada à vacinação COVID-19 ou;
  • Para quem a vacinação com qualquer vacina COVID-19 disponível, de acordo com o cronograma aprovado ou autorizado, não é recomendada devido a uma história de reação adversa grave (por exemplo, reação alérgica grave) a uma vacina (s) COVID-19 e/ou  componente (s) da vacina COVID-19;
  • Condições médicas ou tratamentos que podem resultar em imunocomprometimento moderado a grave e uma resposta imunológica inadequada à vacinação COVID-19 incluem, mas não se limitam a:
    • Tratamento ativo para tumor sólido e malignidades hematológicas;
    • Recebimento de transplante de órgão sólido e terapia imunossupressora
    • Tratamento com terapia celular CAR-T ou transplante de células-tronco hematopoiéticas (dentro de 2 anos após o transplante ou recebendo terapia de imunossupressão)Imunodeficiência primária moderadaou grave (por exemplo, síndrome de DiGeorge, síndrome de Wiskott-Aldrich);
    • Infecção por HIV avançada ou não tratada (pessoas com HIV e contagens de células CD4 ≤200/mm3n ou manifestações clínicas de HIV sintomático)Tratamento ativo com corticosteroides em altas doses (ou seja, ≥20 mg de prednisona ou equivalente por dia quando administrado por ≥2 semanas), agentes alquilantes, antimetabólitos, medicamentos imunossupressores relacionados ao transplante, agentes quimioterápicos do câncer classificados como gravemente imunossupressores, medicamentos anti-fator de necrose tumoral (bloqueadores de TNF) e outros agentes biológicos que são imunossupressores ou imunomoduladores (por exemplo, agentes de depleção de células B)

O medicamento Cilgavimabe + Tixagevimabe (Evusheld), é de uso hospitalar ambulatorial e o Preço Máximo de Venda ao Governo varia de R $6.764,48 a 8.476,64. 

Para participar da consulta pública nº 42, recomendamos a leitura do relatório da Conitec

20220707_ReSoc_349_Cilgavimabe

Relatório para profissionais da saúde: http://conitec.gov.br/images/Consultas/Relatorios/2022/20220707_cilgavimabe_tixagevimabe_Covid-19.pdf 

20220707_cilgavimabe_tixagevimabe_Covid-19

Para enviar sua contribuição: 

Deixe o seu comentário